DESVALORIZAÇÃO DA MÃO DE OBRA

Têm muitos Trancistas que não conhecem o seu real valor e cobram muito pouco pelos seus serviços.
Por esse motivo, alguns clientes acham caro os serviços daquele que se valorizam e cobram o valor correto.
A(o) profissional é quem deve
estipular o valor do seu serviço, não outra pessoa, pois só ela/ele
sabe o tempo que levará trançando, as horas que ficará em pé, o quanto ficará cansada(o).

O mais indicado é criar uma tabela de preços, onde a cliente escolhe o tamanho e espessura que quer. Quanto mais trabalho, mais o cliente deve pagar.

Se você está perdida, sem saber qual preço deve cobrar, deve fazer uma pesquisa de mercado na sua região, ver o quanto
suas concorrentes cobram para formar seu preço, não
deve cobrar nem muito além se não, provavelmente ficará sem cliente e nem muito abaixo para não desqualificar seu trabalho.
Mas sempre levar em consideração, que é um
trabalho árduo, pois ficará em pé por horas, fazendo
esforço repetitivo, ás vezes nem se alimenta direito para liberar logo a cliente, o que não recomendo.
A profissional deve tirar seu tempo de descanso, comer com calma, porque saco vazio, não fica em pé e se hidratar bem.
Devemos valorizar, pois nosso trabalho é milenar, é uma arte, tem um peso cultural e histórico em nossas mãos.
As pessoas que usufruem deste serviço, também devem valorizar, sempre que puder postar uma foto e marcar a trancista que fez o excelente trabalho no seu cabelo, além de ajudar conseguir mais clientes, ajuda na autoestima desta
profissional, ser reconhecido é muito prazeroso e essencial
para toda e qualquer profissão.
Quando estava em alta a escova progressiva, não se via pessoas nos grupos de facebook fazendo textão sobre isso… né mesmo?
Pare e pense:
Se uma região todas as(os) profissionais cobram a mesma faixa de preço, os clientes não terão como comparar fulano e siclano.
Agora um lugar onde a diferença é de 60 a 200 reais, haverá muito questionamento por conta da variação de valores.
Tendo união entre os profissionais, vai existir muita mudança!

A desvalorização só vai diminuir quando o próprio Trancista reconhecer seu valor e se auto valorizar. Saber argumentar com os clientes chorões e não aceitar migalhas.

Por @_michele.reis

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *